in

Polícia Civil apreende 100 quilos de maconha em Montes Claros; três homens foram presos | Grande Minas


O responsável pela Delegacia Especializada Antidrogas, Alberto Tenório, explica que os policiais estavam monitorando a quadrilha há quatro meses. As barras de maconha foram encontradas no Bairro Independência.

“Recebemos informações que seria adquirida uma certa quantidade de drogas na data de ontem, em Patos de Minas. Montamos toda a estrutura necessária para realizar a apreensão e realizamos monitoramento na BR, até chegarmos na residência de um dos investigados, onde a droga foi guardada”, fala o delegado.

A partir das informações sobre a ida para Patos de Minas, os policiais suspeitaram do horário escolhido para o retorno a Montes Claros, que ocorreria durante a madrugada. A equipe ficou mobilizada desde a quarta (6) até conseguir fazer a apreensão e as prisões.

De acordo com as investigações, o homem de 55 anos era responsável por buscar as drogas. O de 28 era considerado de confiança do líder e guardava a maconha em casa.

“Assim que o homem de 55 anos chegou com a droga de Patos de Minas, eles se encontraram em uma rua no Bairro Independência. Esse encontro foi monitorado, mas não foi feita a abordagem naquele momento, porque a gente ainda não tinha a certeza de que eles estariam tirando a droga do carro dele para o do outro”, detalha o delegado regional, Herivelton Ruas.

Os dois homens foram seguidos pelas equipes da Polícia Civil. O de 55 anos foi abordado perto da Lagoa do Interlagos e o outro, de 28, quando chegava no local onde mora. A droga estava no carro dele. O líder foi preso em casa.

“Acreditamos que tenha sido um impacto de bastante relevância para a organização criminosa, tendo em vista que o líder [de 41 anos] também foi preso em flagrante”, destaca Alberto Tenório.

O delegado acrescenta que ele já foi condenado por tráfico de drogas e crimes contra o patrimônio e pegou pena de 20 anos. “Apesar de ser o líder, mesmo preso ele pode ainda gerenciar outras pessoas. Por isso, a gente ainda vai aprofundar as investigações.”

A Polícia Civil acredita que Patos de Minas seja um local de armazenamento e que a droga venha do Paraguai.

“Ressaltamos o compromisso que a Polícia Civil tem durante esse período difícil de pandemia, para continuar executando os trabalhos, mesmo com os riscos que nós policiais estamos correndo por estarmos na linha de frente e por termos contato com pessoas que não sabemos se estão contaminadas. Mesmo assim, estamos trabalhando para continuar, como sempre estivemos, trazendo segurança para a sociedade”, ressalta Herivelton Ruas.

Policiais que atuaram na operação — Foto: Ana Carolina Ferreira / Inter TV

Policiais que atuaram na operação — Foto: Ana Carolina Ferreira / Inter TV



Ir para fonte da informação