in

Musculação aplicada a melhora dos desvios posturais: Como treinar? – Dietas


O alinhamento articular é um dos elementos mais importantes para a manutenção da funcionalidade de qualquer pessoa.

Por isso, os desvios posturais são a origem de muitos problemas articulares e musculares.

A boa notícia é que os desvios posturais podem ser minimizados com trabalhos específicos, como no caso da musculação.

Mas antes de falar especificamente disso, vamos entender o que são e quais os principais desvios posturais!

Desvios posturais, o que são e quais os principais?

De forma geral, segundo Kasten (2017) são modificações morfológicas no alinhamento, movimento ou estabilização de articulações, músculos e ossos.

Neste sentido, a musculação aplicada aos desvios posturais pode ajudar a melhorar estes alinhamentos descompensados.

Veja agora, os principais desvios posturais que a musculação pode ajudar a melhorar:

Escoliose;
Hipercifose;
Hiperlordose;
Escápula alada;
Discinesia escapular;
Valgo;
Varo;
Valgo dinâmico.

Neste caso em específico, os 3 primeiros desvios posturais estão ligados diretamente a coluna, o 3º e 4º as escápulas e ao complexo do ombro e os 3 últimos, aos joelhos.

Naturalmente há uma série de outros desvios. Porém, como o foco é mostrar como a musculação pode ajudar na amenização ou realinhamento dos principais desvios posturais.

Lembrando também que os desvios posturais podem ser estruturais ou mecânicos.

Nos estruturais, há um formato estabilizado, consolidado das estruturas.

Por exemplo, o joelho já possui determinado formato e apenas com vias cirúrgicas será possível alterar.

Já nos mecânicos, o que acontece é que há um desequilíbrio muscular, que pode ser por falta de fortalecimento ou de flexibilidade, que modifica a postura.

Os segundos são mais comuns e mais facilmente tratáveis.

Principais abordagens da musculação para os principais desvios posturais

Perceba o seguinte: cada desvio postural precisa ser analisado por um profissional qualificado.

O que irei te mostrar são alguns procedimentos comuns para cada caso. Mas naturalmente, será necessária uma visão mais ampla de cada caso em específico.

1- Escoliose

A escoliose se dá pelo formato em S da coluna, como na imagem abaixo:

Neste caso, será necessário melhorar o fortalecimento e mobilidade como um todo.

No caso do fortalecimento, tornar a região lombar mais forte, o abdômen e oblíquos mais forte e toda a região torácica. Exercícios para o core (Core, o que é, como treinar e qual a sua importância!), exercícios para a região dorsal (costas) e um fortalecimento geral.

Será necessário melhorar a flexibilidade de glúteos, peitoral, músculos intercostais (músculos entre as costelas), abdômen e lombar.

2- Hipercifose

A hiper-cifose é o aumento da curvatura fisiológica da coluna- Cifose.

Neste caso, será necessário melhorar a mobilidade dos músculos peitorais e abdominais, fortalecer core de forma geral, mas com maior ênfase nos músculos lombares.

Melhorar o alongamento de deltoides e peitoral, porção clavicular, também ajuda.

Além disso, é muito importante fortalecer muito os músculos que agem sobre as escápulas, como trapézio e romboides e serrátil.

Explicamos a importância das escápulas em seu treino de musculação nesse vídeo abaixo:

3- Hiperlordose

No caso da hiperlordose, temos uma curvatura acentuada da lordose lombar.

Neste caso, será necessário fortalecer bastante os músculos abdominais, melhorar a mobilidade da região lombar e glútea, além de melhorar a eficiência das ações do quadril, através de melhora de sua mobilidade e consciência corporal.

4- Escápula alada e discinesia escapular

Escápula alada

Discinesia escapular

Sobre discinesia escapular e escapula alada, já falamos neste artigo (Discinesia escapular – O que é, como melhorar e como deve ser seu treino).

Basicamente, são dois distúrbios que alteram o alinhamento e o a rota de movimento das escápulas. Seu tratamento tem de ser altamente específico, por que há várias situações que podem interferir nesta condição.

O que preconizamos é trabalhar fortemente com a melhora nos movimentos escapulares e fortalecimento dos músculos que se inserem ali, como trapézio, romboides, além de serrátil, grande dorsal e outros.

5- Joelho em varo ou valgo

Joelho em varo (Joelho em Varo – O que é, como treinar e tratar)

Joelho em valgo (Joelho em valgo, o que é, causas e como treinar)

Em ambos os casos, o problema está no alinhamento entre acetábulo (local onde o fêmur se encaixa no quadril), o joelho e o pé. No varo, o joelho se direciona para “fora” e no valgo, para “dentro”.

Em ambos os casos, se for estrutural, será necessário em muitos casos, cirurgia.

Porém, com fortalecimento de quadríceps, melhora da mobilidade de posteriores de coxa, tríceps surral (panturrilha) e conscientização do alinhamento, é possível ter uma boa melhora.

6- Valgo dinâmico

Já tratamos dele neste artigo (Valgo dinâmico, o que é, como tratar e quais os riscos?).

Um dos problemas posturais mais comuns. Basicamente, o joelho tem um alinhamento normal, mas em movimento de flexão, ele se “direciona para dentro”. Isso só acontece durante os movimentos.

No caso do valgo dinâmico, o mais importante é trabalhar com o fortalecimento do quadríceps, principalmente dos vastos lateral e medial, além da melhora da mobilidade.

Além disso, a conscientização do movimento, através de exercícios educativos, repetições na frente do espelho e execuções mais conscientes, irá ajudar a melhorar o quadro de uma forma geral.

Mas o que quero chamar a atenção não é para os métodos de tratamento, mas sim para uma característica comum a praticamente todos os tratamentos não invasivos. Todos eles se baseiam em três coisas:

– Fortalecimento específico;

– Melhora da flexibilidade;

– Melhora da consciência corporal e da percepção do corpo no espaço.

Partindo deste pressuposto, se tivermos um trabalho de prevenção que faça exatamente isso, as chances de desenvolvermos desvios posturais é muito menor.

É lógico que existem fatores anatômicos e principalmente, rotineiros, que acabam prejudicando a postura (sendo que a maneira como mantemos a postura durante o dia a dia é que pode ser a causa para que determinados músculos fiquem mais rígidos do que outros).

Na execução dos movimentos da musculação temos outro ponto importante. Sempre devemos fazer com que os movimentos sejam o mais natural possível.

Por exemplo, neste artigo mostramos alguns processos para a reaprendizagem do agachamento (Agachamento, processo educativo para melhorar a execução). 

O mesmo vale para qualquer outro movimento, que precisa estar adaptado as linhas naturais de cada articulação.

Neste sentido, muitas execuções “mirabolantes” se tornam altamente lesivas e podem provocar sérios desvios posturais. Por isso é sempre ter um acompanhamento profissional vendo não só sua execução dos exercícios, mas também para montar um treino específico para que possa corrigir seus desvios posturais.

Tenha um acompanhamento para tratar seus desvios

Caso você não tenha um acompanhamento na preparação do seu treino, clique aqui e conheça a consultoria personalizada no personal trainer do Treino Mestre, que  irá montar uma periodização completa de treinamento voltada para suas condições e fazer todo o acompanhamento  necessário.

 Opte sempre pelo básico, pois existem outras inúmeras variáveis envolvidas em um treino de musculação.

A execução não é uma maneira de modificar a intensidade, pois ela deve ser sempre o mais eficiente possível.

O que fica claro é que a musculação é um importante componente na manutenção das linhas posturais sadias, desde que ela seja executada com o devido controle e qualidade.

Para isso, sempre procure um profissional capacitado e atualizado para te ajudar!

Bons treinos!



Ir para fonte da informação