in

Governador do PA diz que quer responsabilizar indústria chinesa pelos respiradores que não servem para Covid-19 | Pará


O governador disse que o Estado vai aceitar duas medidas: o envio dos equipamentos ou a devolução dos 25,2 milhões já pagos.

“Torço para que os respiradores cheguem conforme nós compramos”, disse Barbalho.

O valor da compra dos respiradores foi de R$50,4 milhões, sendo que R$25,2 milhões já haviam sido pagos, segundo o governo. O valor pago foi bloqueado da empresa e sócios, por determinação da Justiça do Pará. Cada respirador custou R$126 mil ao Estado.

Barbalho disse, ainda, que terá uma videoconferência na próxima segunda (11) para conferir protótipo do novo equipamento e confirmar se o material condiz com manual e especificidades da doença causada pelo novo coronavírus.

“Na chegada, os respiradores apresentaram problemas que não condizem com o que estava escrito em todos os detalhamentos da compra (…) e entramos com as ações necessárias junto à embaixada chinesa, empresa e indústria para que isso pudesse ser resolvido”, afirma.

Barbalho citou, ainda neste domingo, que teria determinado que os equipamentos não fossem usados, assim que chegaram. No entanto, uma postagem da Secretaria de Saúde Pública (Sespa) mostrou respirador “doado do mesmo modelo” sendo usado em paciente, segundo o próprio governo.

A publicação foi deletada, porque, segundo nota, “equipamento não fazia parte do lote dos 152 comprados”. Na legenda, dizia que o respirador havia chegado da China e estava em “pleno funcionamento”.

Tweet da Sespa afirmou que respiradores estariam funcionando. — Foto: Reprodução

Tweet da Sespa afirmou que respiradores estariam funcionando. — Foto: Reprodução

Governo do Pará admite que respiradores comprados da China não funcionam

Governo do Pará admite que respiradores comprados da China não funcionam

Os 152 respiradores comprados da China pelo governo do Pará para tratamento de pacientes com Covid-19 apresentaram falhas durante processo de instalação e ainda não puderam ser usados, afirmou o próprio governo estadual. Sobre o custo de cada respirador, R$ 126 mil, o Estado afirmou que os recursos não serão perdidos.

Os equipamentos chegaram na segunda-feira (4), junto com 1.580 bombas de infusão, que permitiriam a instalação de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19.

A nota do governo disse que as dificuldades também ocorreram por outros compradores e que o governo está “em contato direto com os fabricantes, que prometem saná-los em caráter de urgência”. Ainda segundo o documento oficial, os fabricantes assumiram que vão resolver os problemas e adequar os equipamentos aos parâmetros nacionais.

No total, o governo do Pará adquiriu 400 kits de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), contendo 400 respiradores, 400 monitores multiparamétricos, 400 oxímetros de pulso e 1.600 bombas de infusão. O total de investimentos foi de R$100 milhões, segundo o governo, sendo que R$50,4 milhões foram gastos somente com os respiradores.

Os kits são para atender pacientes em tratamento com a Covid-19, sendo que 80 foram destinados para o Hospital de Campanha de Belém e 30 para o Hospital Galileu, todos em Belém.

Os equipamentos respiradores também já haviam começado a ser distribuídos para municípios do interior do estado, como Tucuruí, Abaetetuba, Parauapebas, Redenção e Altamira.



Ir para fonte da informação