in

Caso do 1º detento contaminado em MG por Covid-19 é incluído no balanço oficial do Estado | Sul de Minas


O caso do primeiro detento de Minas Gerais contaminado pelo novo coronavírus passou a fazer parte do balanço oficial da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) neste domingo (10). A infecção foi divulgada no dia 1 de maio pela Prefeitura de Botelhos (MG), cidade onde fica localizado o presídio, e o caso ainda não havia sido contabilizado pelo Estado.

Com a inclusão, Botelhos agora possui oficializadas pela Secretaria de Estado de Saúde de MG as quatro contaminações que já haviam sido divulgadas pela prefeitura. De acordo com a administração municipal, três dos pacientes que testaram positivo estão curados e um em isolamento domiciliar.

1º caso em presídio de Minas Gerais

O G1, no dia em que a Prefeitura de Botelhos oficializou a infecção, entrou em contato com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), o órgão estadual revelou que a contaminação se tratava do primeiro caso registrado no Estado de Minas Gerais em ambiente prisional.

A secretaria apontou que o detento ingressou no presídio no dia 20 de abril, após ser preso em Poços de Caldas (MG), e foi isolado e testado três dias depois, quando passou a manifestar sintomas gripais.

A Sejusp informou que ele foi colocado em cela isolada na unidade e fez utilização de equipamentos de proteção individual. A secretaria destacou ainda que todos os servidores que necessitam entrar em contato com o interno seguem à risca o protocolo de saúde e utilizam máscaras, luvas e demais itens de segurança.

Todos os presos e servidores do presídio que apresentam quadros sintomáticos estão sendo monitorados por equipes de saúde na unidade prisional, de acordo com a Sejusp.

O presídio da cidade de Botelhos é uma das 30 unidades de referência distribuídas pelo território de MG. Esta medida foi adotada pelo governo mineiro para que estes presídios funcionem como centros de triagem e portas de entrada para novos detentos do sistema prisional.

Com isso, todas as pessoas que forem presas em Minas Gerais, segundo o órgão, vão para uma unidade específica em cada região e ficarão por um período de 15 dias, em quarentena e observação, evitando possível contágio caso fossem encaminhados de imediato para outras unidades. Após a observação e atestada a sua saúde, eles são encaminhados a novas unidades prisionais.



Ir para fonte da informação